As grandes instituições

  • A loja Ladurée nos Champs Elysées de Paris

    A loja Ladurée nos Champs Elysées de Paris

    © Ladurée

  • Produtos Hédiard

    Produtos Hédiard

    © Hédiard/Thierry Malty

  • Produtos Mariage Frères

    Produtos Mariage Frères

    © Mariage Frères

  • Fauchon, Praça de la Madeleine em Paris

    Fauchon, Praça de la Madeleine em Paris

    © Fauchon

As grandes instituições Paris fr

As instituições da gastronomia francesa

Figuras destacadas da gastronomia francesa, estas pastelarias e lojas gourmets atraem os amadores de boa gastronomia, encantados de conseguir produtos excecionais nuns estabelecimentos que merecem por sí só uma visita.

  • Ladurée, « fabricante de doces»

Em 1862 Louis Ernest Ladurée criou uma padaria em Paris, no número 16 da rua Royale. Uns anos depois, a sua mulher imaginou um local café parisiense e pastelaria, criando assim um dos primeiros salões de chá da capital. Por sua parte, os famosos macarons Ladurée, apareceram a meados do século XX.

  • La Maison Dalloyau, uma herança gastronómica digna de reis

Com uma experiência de mais de 300 anos na criação de doces, chocolates e pratos cozinhados, Dalloyau é uma história familiar transmitida de geração em geração. A mais famosa das suas lojas fica em Maison du Faubourg, mas existem outras 38 lojas e estabelecimentos em França e no estrangeiro. Em 2007, obteve o título de “Empresa do Património Vivo” pelo seu know-how e renome.

  • Mariage Frères, a arte francesa do chá

Era uma vez dois irmãos, Édouard e Henri Mariage, herdeiros de uma larga dinastia de negociantes a larga distancia. No dia 1 de junho de 1854, fundaram em Paris o estabelecimento com o seu nome, dando nascimento a uma verdadeira escola francesa do chá. Após ter inaugurado o seu primeiro salão de chá em 1986, a Maison Mariage Frères convida nos seus ateliers de descoberta do chá e degustação, os “Tea clubs”.

  • Fauchon: o luxo, a modernidade e a marca França

Chegado a Paris desde a sua Normandia natal a princípios dos anos 1880, Auguste Fauchon abriu em 1886 o seu primeiro estabelecimento. Uma pastelaria, uma padaria e o Grande Salão de Chá foram inaugurados sucessivamente na praça de la Madeleine. “Made in F, Made in Fauchon, Made in France”, é o tema da empresa cuja loja no número 30 da praça de la Madeleine foi completamente redesenhada por Christian Biecher em 2007.

  • Lenôtre, know-how e cultura do sabor

Fundada em 1957 por Gaston e Colette Lenôtre, a casa Lenôtre propunha naquela época uma pastelaria e uma cozinha refinadas. Progressivamente, passou a ser também uma chocolataria, confeitaria, organizadora de receções, empresa de catering, etc. As suas escolas de cozinha de pastelaria acolhem profissionais e amadores de gastronomia de todo o mundo no Pavilhão Elysée Lenôtre em Paris.

  • Hédiard, descobridor de sabores

Em 1848, Ferdinand Hédiard descobriu as frutas exóticas no porto de Le Havre. Dois anos mais tarde, com o seu carrinho cheio de frutas tropicais, instalou-se na praça de Victoires em Paris. O êxito permitiu-lhe abrir a sua primeira loja em 1854, Le Comptoir des Epices et des Colonies. Desde 1870, a casa Hédiard fica localizada no número 21 da praça de la Madeleine. A casa recebeu em 2007 a etiqueta de Empresa do Património Vivo.

  • La Grande Epicerie de Paris, o espírito da margem esquerda 

Quer aproveitar enquanto faz as suas compras? Dirigiu-se à Grande Epicerie, o templo do hedonismo na margem esquerda de Paris. Criada em 1923 por Bon Marché, o “Comptoir de l’Alimentation” propunha então os melhores chás e conservas finas. Atualmente, 30.000 produtos estão referenciados na Grande Epicerie, desde as marmeladas com Champanhe ao sal de Guérande com trufa, passando pelas águas regionais como as de Abatilles em Arcachon...

  • Baillardran, especialista do cannelé de Bordéus

No século XVIII, as religiosas do convento das Annonciades recolhiam a farinha nas caves dos barcos do porto de Bordéus para preparar uns pequenos bolos destinados aos mais pobres da cidade. Em 1987, Philippe Baillardran, pasteleiro de formação, ressuscitou estes doces cozidos em pequenos moldes de cobre sulcados e transformou no seu comércio exclusivo.