Caderno prático Nord Pas de Calais

Caderno prático Nord Pas de Calais

O encanto das Grandes praças

Herdeira de uma tradição industrial, esta região está hoje virada para o turismo.

Uma actividade que parece uma evidência, à vista das suas paisagens onde as florestas são rainhas, e onde a Côte d'Opale apresenta praias dedicadas aos desportos de deslizo. Deixando a brisa marinha, vá entre o estuário da baía do Somme e a fronteira Belga. Terras sérias, ou seja encarregadas de história, para a maior felicidade dos visitantes.

Arras e a sua grande praça dos Heróis (Place des Héros) levam-nos até a Idade Média e ao mercado ao grão que tinha lugar na sombra na câmara municipal, de um gótico resplandecendo.

Mais ao Norte, Lille, a capital da Flandre francesa, oferece no seu centro uma arquitectura do século XVII, sem a cortar da modernidade. Capital europeia em 2004, é doravante um lugar forte da cultura.

O seu prestigioso museu abriga uma colecção excepcional de obras dos mestres flamengos, franceses e holandeses.

Todos estes lugares são pontuados pela qualidade do acolhimento e a descoberta de especialidades culinárias: impossível não provar o típico Waterzooï (caldo de peixe e de frango) ou os famosos mexilhões com batata frita, servidos com uma cerveja saborosa e regional, feita na província de Lille.

Os incontornáveis

- A Grand’Place d’Arras: 155 residências de arquitectura flamenga.- La Piscine, museu de Arte e de Indústria de Roubaix: antiga piscina Art déco renovada.- O museu Matisse em Cateau-Cambrésis: 3ª colecção Matisse de France.- A cúpula de Helfaut: base de lançamento de V2.- O sítio des deux caps: paisagem da Côte Sauvage na fronteira do Manche e do mar do Norte.- Os beffrois (torres de sinos) de Bélgica e de França classificados no património mundial da Unesco.- O palácio das Belas-Artes de Lille: segundo museu das belas-artes após o Louvre.- O Centro histórico mineiro em Lewarde: museu consagrado as minas.- Nausicaà, Centre nacional do mar situado em Boulogne-sur-Mer.- A Catedral e arquitectura da cidade de Saint-Omer, os seus hotéis particulares e fachadas do século XVIII.- Le Touquet-Paris-Plage: 6 km de praia, 255 ha de florestas de pinheiros e de bétulas…

Novidade: Um anexo do museu do Louvre foi criado em Lens. É a primeira « antena descentralizada » do grande museu parisiense, que abriu as suas portes em Dezembro de 2009.

Para saber mais: « Le Touquet e os ingleses »

Le Touquet foi muito procurado pelos aristocratas ingleses à procura de divertimento. É deste período que data o Casino da Praia, a construção de hotéis luxuosos (Hotel Atlantic, Hotel des Anglais, Hotel du Golf, Hotel l’Hermitage…).

Em 1904, o primeiro Ministro inglês ele-próprio (Lord Balfour), inaugura o golfe do Touquet, o terceiro construído em França; este será ampliado desde 1931 por um percurso à beira-mar.

Para saber mais: « A cúpula de Helfaut ».

Não se trata de um antigo bunker subterrâneo construído pela tropa alemã, graças aos prisioneiros de guerra, entre 1943 e 1944, na comuna de Helfaut, a 5 km de Saint-Omer.Na origem, este bunker era para servir de base ao lançamento dos foguetões V2, mas bombardeado várias vezes pelos Aliados, nunca chegou a ser usado.Os foguetões V2 são os primeiros operacionais ou mísseis balísticos à ser preparados pelos alemães durante a segunda guerra mundial.O primeiro V2 foi lançado em Setembro de 1944, em direcção de Paris e durante a queda do primeiro V2 sobre Londres, ninguém na altura compreendeu que era uma bomba, a V2 chegada a uma velocidade superior à do som ou seja num silêncio total.

Hoje, a Cúpula foi transformada em museu à volta de 3 eixos: - A ocupação no Nord-Pas de Calais- As armas segredas alemãs- A conquista do espaço durante a guerra fria

Para saber mais: « O Palácio das Belas Artes de Lille »

O Palácio das Belas Artes, segundo museu francês após o Louvre, abriga num sumptuoso prédio inteiramente renovado entre 1991 e 1997, de prestigiosas colecções de pinturas, esculturas, desenhos, cerâmicas e plantas-relevo. Estas obras permitiram um ordenamento dos subsolos onde são hoje instaladas as galerias consagradas à Idade Média, ao Renascimento e a sala das plantas-relevo.

As colecções mundialmente conhecidas do Palácio das Belas-Artes apresentam um panorama completo da arte europeia do século XVI ao século XX com dois pontos fortes: a colecção de pinturas flamengas (Rubens e os seus alunos) e a colecção de pinturas francesas do século XIX (David, Delacroix, Géricault, Corot, Courbet...). Várias obras foram instauradas durante os anos de encerramento do museu, permitindo assim de reencontrar as suas nuances e beleza originais.

Dentro das 2000 telas que conserva, o museu de Lille conta com alguns quadros que mudaram o curso da pintura francesa: • Bélisaire de David (Salon de 1781), considerado como o primeiro quadro neo-clássico; • L'Après-dînée à Ornans de Gustave Courbet (salon de 1849), verdadeiro manifeste realista, realizado a contracorrente do movimento romântico, então em voga; • Le Sommeil de Puvis de Chavannes (salon de 1867), a obra preferida do artista, impressionante tela simbolista que anuncia com quarenta anos em adiantado, o período azul de Picasso.

Desde 1998, o museu de Lille é regularmente presente na actualidade cultural através das suas exposições temporárias: Goya, Berthe Morisot, e mais recentemente Rubens.

Focus: A "braderie" de Lille

O primeiro fim-de-semana de Setembro é o mais louco do ano.

Dois milhões de visitantes visitam durante dois dias os 100 km de passeios investidos por alguns 10 000 expositores. Provas de mexilhões com batata frita obrigatória!

Insólito: A faiança de Desvres (19 km à Este de Boulogne sur Mer)A cidade construiu a sua fama na produção de faiança e de porcelana.Em 1997, Desvres obteve o rótulo « cidade e ofícios de arte » destacando o seu saber-fazer. Fachadas, monumentos (igreja, monumento dos mortos) mas também o interior de alguns lugares (café ou restaurante) foram renovados.

A não perder: os dois magníficos frescos no café « Le Parisiana », ou os do restaurante (a agricultura que deve o seu nome aos seus frescos em grés representando as cenas da vida dos agrícolas).Paralelamente a estas renovações, em 1991 foi inaugurada A Casa da Faiança, que apresenta um museu e uma residência de artistas assim como uma loja.Shopping: Na rua principal de Desvres, várias lojas, propõem objectos em cerâmica. Sempre na cidade, a empresa Régnier, possui uma loja de fábrica de 200m2, e é conhecido no mundo inteiro pelos seus tachos em faiança.

Uma cidade: LilleEm cada passo uma descoberta!Capital europeia da cultura em 2004, Lille apresenta orgulhosamente o seu património restaurado e novos lugares de encontro e de cultura: les maisons Folie. A sua arte de viver e o seu convívio irão seduzir-vos, sendo o acolhimento e a generosidade características dos habitantes de Lille.

A não perder:- Passeio pela cidade antiga entre o palácio Rihour e a pequena ilha Comtesse- O Palácio das Belas-Artes: 22 000 m2 de colecções prestigiosas- A Casa onde nasceu Charles de Gaulle- O museu do hospício Comtesse- O mercado do domingo de manhã em Wazemmes- Descoberta da cidade em "Segway"- Lille gastronómica: o velho Lille, as gaufres de Chez Méert, as cervejas artesanais, o potjevleesch, as flores de Lille em chocolate…

Meios de acessoEstações de comboio SNCF / Lille Flandre e Lille Europe: Lille fica à 1h de Paris de TGV, 1h40 de Londres com o Eurostar, 38mn de Bruxelas com o Thalys Aeroportos: Lille - Lesquin (8 km do centro)

Ligações marítimas com a Grã-Bretanha:• Calais/Douvres (companhias P&O e Sea France)• Dunkerque/Douvres • Boulogne-sur-Mer/Douvres * Para Dunkerque, a companhia de ferry Norfolk e Speedferries com partida de Boulogne sur mer (companhia low-cost/ reservas via Internet), transportam unicamente os veículos (e os seus passageiros), mas não os "peões".

Sob o mar: Eurotunnel (ligação ferroviária)• Calais-Coquelles/Folkestone (para os veículos) / Ashford (para os "peões")Distância Paris / Lille: 220 km