Especialidades gastronómicas em Aquitania

  • Chaland (barco para la recogida de ostras) en la bahía de Arcachon

    Chaland (barco para la recogida de ostras) en la bahía de Arcachon

    © Atout France / François-Xavier Prévot

Especialidades gastronómicas em Aquitania bordéus fr

No País Basco, a pimenta faz tudo

Uma cozinha tradicional, de beira-mar, à base de peixes e de mariscos, divertida e colorida, toda vermelha como se fosse esfregada com pimenta Espelette. Encontramos a pimento em todo o lado. É a base de um caviar, a piperade, então misturado com tomates cozidos e com cebola. Feito em todo o País Basco, o presunto faz parte de todas as refeições e para todas as estações. Quanto ao foie gras, de pato e de ganso, cá é como nas outras grandes regiões agrícolas (Landes, Gers, Lot-et-Garonne), empanturrado e cozinha à antiga, coberto pela sua própria gordura.

Apreciam o magret de pato, simplesmente grelhado, acompanhado de batatas, de cogumelos ou guarnecido com frutas. Prato tradicional e também muito bom, o "poulet basquaise" (frango à basca). Os pedaços de frango salteado serão servidos com um molho saboroso à base de tomate, cebolas, pimentos, tudo preparado com um copo de vinho branco.

Também é uma região de caça e de pesca. Para a caça, é o pombo bravo que é procurado perto dos Pirenéus durante a sua migração. Um verdadeiro delicio quando é assado, servido com presunto. Quanto à pesca, é costume pescar peixes de água doce assim como atum e sardinhas.

Incontornáveis, os queijos de ovelha fazem parte de todas as refeições e servem-se secos ou frescos mas só os podemos encontrar no verão. Enfim, os chocolates, grande especialidade da cidade de Bayonne. Podemos o encontrar perfumado à canela ou combinado com massa de bolos como o muito simbólico bolo « béret basque ».

O Périgord: um justo equilibro.

A cozinha do Perigord, toda a sua riqueza é a natureza que deu-lhe. Alguns cogumelos dos bosques, nozes e castanhas, e aves (ganso e pato) que darão os famosos foie gras e magret de pato. Porque, contrariamente à ideia que temos, o Périgord é uma região pobre, campesina. E a sua cozinha é o reflexo disso. Uma cozinha típica, recheada de restos habilmente preparados, de conservas, de pratos postos em conservas… Mas cuidado: uma cozinha excelente, generosa, untuosa como a carne dos seus gansos e patos. Com a gordura do animal, podemos justamente realizar conservas para manter o sabor destes produtos. Uma gordura que vai substituir a manteiga e dar este sabor pronunciado e suculento as batatas salteadas, aos magrets… À isso, acrescenta só um copo de vinho branco doce, como o Monbazillac, e...bom apetite!

Dentro das especialidades, pratos muito simples mas extraordinariamente deliciosos: a omelete de trufas ou o foie gras passado na frigideira, o magret de pato, as rillettes de ganso… Mas também saladas de trufas, peixes de rio, aves do campo com cogumelos... O inverno, não perca os mercados como o de Périgeux por exemplo. No Périgord Noir, o leitão delicia a mesa durante todo o ano. No Périgord verde, as cabras deram a luz à uma excelente especialidade, forte e com muito sabor: um pequeno queijo redondo e tenro: o Cabécou.

Bordéus: uma cozinha do Sul, à espanhola

Bordéus é famosa no mundo graças ao prestígio dos seus vinhos. Mas o Bordalês apresenta muitas outras surpresas gastronómicas, entre um terroir magnífico e robusto e uma abertura sobre o Atlântico rica em sabores subtis. Em cada esquina da capital dourada, poderá saborear uma bandeja de ostras frescas do dia, uma entrecôte com salsa e grelhada enquanto bebe um bom Entre-Deux-Mers ou um tinto Saint-Emilion de Libournais. Uma gastronomia tradicional e pimentada, próxima da cozinha espanhola, que cozinha, de um lado, peixes tais como o linguado, as enguias, preparadas com alho e salsa, a lampreia à bordalesa, preparada com molho à base de vinho tinto, as sardinhas frescas grelhadas... Do outro lado, os sabores da terra: os foies gras, as tripas de porco, o cordeiro de leite, os espargos. E o cannelé bordalês, conhece? Com sabor de velho rum e de baunilha bourbon, resuma muito bem Bordéus, Cidade do Sul, porto aberto ao mundo que foi uma escala muito importante no comércio triangular dos escravos, e no comércio do rum e das especiarias.

Bordéus também é as suas excepcionais vinhas: as Primeiras Côtes de Blaye em Bordéus, l’Entre-deux-Mers, Sauternes em Graves, Saint-Emilion e Pomerol em Libournais, Saint-Julien, Saint-Estèphe, Pauillac e Margaux no Médoc.

As especialidades regionais

As especialidades as mais famosas são o foie gras, o confit de ganso com cogumelos, o confit de pato, a salada landaise, o óleo de aracnídeo, as pralinas de Blaye, o gratin de pêras em Sauternes, o cannelé e macarons de Saint-Émilion.

Os queijos regionais

Os queijos à saborear são o brebiou, o cabécou, o etorki, o ossau-irati, o rocamadour, o bleu dos Basques.

Vinhos e alcoóis

  • Vinhedo de Bordéus: o Médoc, Les Graves, os vinhedos de Blaye e Bourg, o Libournais (Saint-Emilion), L'Entre-Deux-Mers
  • Vinhedo de Bergerac