Maravilhas do património

Maravilhas do património

Castelos, abadias, sítios arqueológicos e muitas outras jóias continuam a ser geridas e preservadas pelo Centro de Monumentos Nacionais. No total, são mais de 100 monumentos abertos ao público que reflectem a diversidade do património francês. Segue uma breve descrição.

 Na capital e arredores Decorada com vitrais com cores sublimes, a Sainte Chapelle [Santa Capela] é uma jóia herdada do muito piedoso rei Luís IX que desejava um templo digno de acolher as relíquias da Paixão de Cristo. Esta obra-mestra gótica milagrosamente preservada ao longo do tempo está situada à dois passos do Sena, ao lado de La Conciergerie cuja grande fachada se reflecte no rio. La Conciergerie, o mais antigo palácio real da capital, é conhecida sobretudo por ter servido de prisão para a rainha Maria Antonieta antes de ser executada. A sua célula foi reconstituída.

Se la Conciergerie lembra o terror revolucionário, o Arco de Triunfo homenageia o génio de Napoleão e das suas vitórias no campo de batalha. Este mastodonte que se alça sobre uma colina oferece umas vistas incomparáveis de Paris desde o seu terraço. Uma exposição permanente que foi inaugurada em 2007 no âmbito do bicentenário da colocação da primeira pedra conta a sua história.

Nos arredores de Paris, terá que ir até Poissy para admirar a Villa Savoye, um paralelepípedo branco plantado sobre a relva construído por Le Corbusier entre 1928 e 1931. Esta mansão convida a dar um passeio arquitectónico por uma modernidade revolucionária que talvez permitiu que o seu autor seja premiado pela UNESCO em 2007. A mansão, cujo mobiliário foi dispersado ao longo dos anos, foi remobilada no seu estilo de época com motivo de uma exposição a cargo dos melhores desenhadores.

A Oeste Nos confins da Normandia e da Bretanha, o Monte Saint-Michel oferece o fantástico espectáculo de uma roca culminada por uma abadia, isolada numa baía. Construído ao longo dos séculos numa natureza hostil, este destacado lugar da fé cristã durante toda a Idade Média transmite uma magia inesquecível. Noutro registo, na Bretanha, o sítio megalítico de Carnac, com 4.000 anos de antiguidade, apresenta 3.000 menhires colocados seguindo uma disposição que ainda não revelou todos os seus segredos. O conjunto constitui um testemunho fascinante da cultura do neolítico. 

Sudoeste No selvagem vale de Vézère na Dordogne, os nossos antepassados deixaram vários índices da sua passagem nas grutas, como em Font de Gaume, a última cavidade decorada de pinturas policromas aberta ao público. Mais de 200 figuras pintadas e gravadas na parede, organizadas em composições, ou em cenas, estendem-se num friso de 120m que apresenta uns bisontes desenhados há 14.000 anos.

Sudeste Nos pântanos do delta do Ródano, São Luís decidiu construir no século XIII um porto que oferece uma saída no mar Mediterrâneo, Aigues-Mortes. O magnífico recinto fortificado, dotado de torres de vigilância e portas oferecia uma protecção à cidade que se juntou a sua riqueza graças ao tráfego portuário. Hoje, ainda pode-se admirar os 1.634 m de muralhas que formam uma notável construção defensiva junto a torre de Constance, majestosa torre.

Ainda mais impressionante, a cidade medieval de Carcassonne estende-se sobre 3 quilómetros de muralhas com 52 torres que formam com o castelo um conjunto excepcional declarado Património Mundial. Mas pouco faltou para que no século XIX estas fortificações não fossem desmanteladas para ampliar a cidade. Devemos a sua restauração ao grande arquitecto da época Eugène Viollet-le-Duc. 

A Este Ponto de observação sobre toda a planície de Alsácia e dos Vosges, o castelo de Haut-Koenigsbourg é uma fortaleza do século XIII. Restaurada no início do século XX, sob o Império Alemão num estilo medieval, oferece umas vistas magníficas e a sua visita levar-lhe-á até outra época. Aos seus pés serpente a rota dos vinhos de Alsácia.

Mais informação:Centro dos Monumentos Nacionais www.monuments-nationaux.fr

Autora: Aurélia Bollé