Os circuitos dos caminhos de Santiago de Compostela

Os circuitos dos caminhos de Santiago de Compostela
A via do Puy

                        A Via de Arles                        A via do Piemonte dos Pirineus

                   O Circuito dos Incontornáveis

A via do Puy

  AubracAdelard, Conde de Flandres, decidiu em 1119 construir em Aubrac uma igreja e um asilo, ao voltar de Santiago de Compostela. Religiosos, cavaleiros e leigos faziam celebrações para cuidar do bem-estar dos peregrinos. Nos dias de grande afluência, eram distribuídos até 5 mil pães em Notre-Dame-des-Pauvres. Para os peregrinos perdidos, o “sino dos perdidos” ainda soa hoje como um guia no brejo.Encontre todas as informações turísticas sobre a região Midi-Pyrénées [Midi-Pirenéus] clicando aqui

     ConquesA basílica de Conques é um exemplo de igreja de peregrinação e sua riqueza iguala apenas a sua beleza: tímpano esculpido do século XII, representando o Julgamento Final, nave alta, pórtico com deambulatório e capelas radiantes servem como receptáculo para as relíquias de Santa Fé, em sua estátua recoberta de ouro. Esse relicário faz parte do “tesouro de Santa Fé”, enriquecido ao longo dos anos pelos peregrinos que levavam pedras preciosas para decorar a estátua.Encontre todas as informações turísticas sobre a região Midi-Pyrénées [Midi-Pirenéus] clicando aqui    

CahorsA história de Cahors está intimamente ligada à peregrinação de Santiago desde a Idade Média. A ponte Valentré, que une o rio Lot a Cahors, é há 700 anos uma ponte de passagem tradicional dos peregrinos. A catedral de Saint-Etienne, construída nos séculos XI e XII, revela suas duas cúpulas imponentes, o magnífico tímpano esculpido de seu pórtico norte, e é possível admirar representações de peregrinos nos púlpitos do claustro próximo. Isso sem esquecer da capela Saint-Gausbert, decorada com afrescos do século XV.Encontre todas as informações turísticas sobre a região Midi-Pyrénées [Midi-Pirenéus] clicando aqui

LauzerteMontada sobre um pico rochoso, Lauserte sempre representou um local de parada para repouso aos peregrinos, em torno da igreja Saint-Bathélémy, muitas vezes reconstruída e recuperada desde a Idade Média. Perpetuando essa tradição, Lauzerte oferece também ao visitante seu emocionante Jardim do Peregrino, que conta a história e a vida dos jacquets da Idade Média.Encontre todas as informações turísticas sobre a região Midi-Pyrénées [Midi-Pirenéus] clicando aqui

MoissacA história religiosa de Moissac remonta ao século VII, quando foi erguida a abadia beneditina, destruída pelos invasores mouros em 732. Foi o imperador Carlos Magno quem ordenou sua reconstrução, antes que em 1047 o abade de Cluny tenha colocado Moissac sob sua proteção. Teve início então um período de desenvolvimento e prosperidade, marcado especialmente pela construção da igreja de Saint-Pierre, obra-prima da arte romana, cujo claustro é um dos mais belos da França, com suas marquises com trabalhos notáveis.

Encontre todas as informações turísticas sobre a região Midi-Pyrénées [Midi-Pirenéus] clicando aquiAuvillarNo Tarn-et-Garonne, Auvillar é uma das Mais Belas Vilas da França. Oferece ao visitante a beleza de suas ruelas, de seu mercado circular, de sua Torre do Relógio e de sua antiga igreja. A capela do Port, construída à época carolíngia, foi destruída e novamente reconstruída no século XIV, por ordem do papa Clemente V. Encontre todas as informações turísticas sobre a região Midi-Pyrénées [Midi-Pirenéus] clicando aqui

LectoureAntigo oppidum gaulês e depois cidade galo-romana, Lectoure adquiriu uma posição importante na Idade Média: os peregrinos encontravam ali, no caminho de Santiago que atravessa o Gers, vários asilos onde podiam fazer uma parada. A igreja Saint-Gervais, construída entre o século XV e XVI, bem como a abadia beneditina, que conserva as relíquias de Saint Gény, eram etapas importantes sobre o caminho de Compostela.Encontre todas as informações turísticas sobre a região Midi-Pyrénées [Midi-Pirenéus] clicando aquiLaressingle (a Ponte de Artigues)Inscrita no património mundial da Unesco, a ponte de Artigues, situada no Osse, entre Laressingle e Beaumont, foi construída nos séculos XII e XIII e constitui uma parada emocionante nos caminhos de Santiago, antes de entrar em Laressingle, obra prima da arquitectura medieval. Vila fortificada, chamada de “a pequena Carcassone”, abrigava o castelos dos bispos de Condom e a igreja, ela também fortificada, que servia de refúgio aos peregrinos.Encontre todas as informações turísticas sobre a região Midi-Pyrénées [Midi-Pirenéus] clicando aquiLa RomieuO nome desta vila tem sua origem nos peregrinos: os peregrinos que faziam a viagem de Roma eram chamados de "Arromieu" em gascon (dialeto francês). Graças ao cardinal Arnaud, natural de La Romieu, a vila teve uma admirável prosperidade e assistiu à construção de baluartes, palácio do cardeal e a torre. O impressionante colegiado do século XIV relembra um castelo fortificado com sua torre octogonal. Ao lado de La Romieu, a abadia de Flaran é uma etapa importante nos caminhos de Santiago e abriga hoje uma exposição permanente sobre a peregrinação.Encontre todas as informações turísticas sobre a região Midi-Pyrénées [Midi-Pirenéus] clicando aqui