"Tutancâmon, os tesouros do faraó" no Villette em Paris

Para comemorar o centenário da descoberta do túmulo do mais famoso dos faraós, o Grande Halle de la Villette em Paris, promove a exposição "Tutancâmon, os tesouros do Faraó", que será aberto de 23 de Março à 15 de Setembro de 2019.

Uma das maiores descobertas arqueológicas

No antigo Egito, a morte também é um renascimento. É isso que esta exposição imersiva busca nos fazer entender. Utilizando uma mediação tecnológica de ponta, o visitante descobre a função desses objetos funerários, bem como o significado do ritual associado à eles. A exposição também retorna à história de uma das maiores descobertas arqueológicas de todos os tempos. Este é um privilegio único para todos os visitantes de todas as idades.

Na sombra do Vale dos Reis – Vallée des Rois

Em 4 de Novembro de 1922, o túmulo de Tutancâmon foi descoberto no Vale dos Reis, às margens do Rio Nilo, em frente a Luxorno Egito. E pode-se dizer que a descoberta do arqueólogo britânico Howard Carter é uma verdadeira sorte para a humanidade! Como vítima do Damnatio Memoriae, ou seja, condenado ao “esquecimento” por seus adversários candidatos ao trono, o jovem Tutancâmon teria sido capaz de “sobrevier” às sombras do Vale dos Reis ... Ironicamente, ele se torna hoje a estrela dos museus internacionais que abrigam esta exposição, começando com a Grande Halle de la Villette.

Aviso aos amantes da arte ...

Depois de Tutankamon, nos encontramos no museu do Louvres, a apenas 30 minutos de metrô.

Inevitável, majestoso, esplendoroso, mágico... isso é uma descrição do Museu do Louvre em pocas palavras. Mas o Louvre não foi sempre este museu único visitado por quase 9 milhões de pessoas por ano. Agora você pode fazer compras debaixo da famosa Pirâmide !

Fortaleza em seguida ... residência dos reis da França

Desde o final do século XII, os edifícios do Louvre dominam o coração de Paris. Localizado na margem direita do Sena (1º arrondissement), este edifício fora a primeiro fortaleza medieval, sob o reinado de Philippe Auguste (1190-1202).

Em seguida, na segunda metade do século XIV, Charles V muda a vocação do local para fazer a residência dos reis da França... por quase 700 anos.

Você vai entender...

Transformado um museu em 1793, o palácio do Louvre é, desde então, dedicado à conservação e apresentação de milhares de obras de arte, testemunhas de civilizações passadas.

O mundo inteiro converge as suas portas em busca da memória coletiva.

Local culto, que iráfazê-los viajar através do tempo e espaço, como um espelho, você verá novamente a imagem da nossa humanidade que vai muito além dos séculos e do passar do tempo.

Mundo Antigo, Ocidente e o Islã

O Museu do Louvre recebe peças produzidas pelas civilizações antigas (Oriental, egípcia, grega, etrusca e romana), Ocidente, o Islã e muçulmanos árabes que correspondem a um período de quase 5.000 anos.

Assim, o maior museu da Europa mergulha o visitante numa dimensão universal: 460.000 obras incluindo jóias do Patrimônio da Humanidade, como a Vênus de Milo, a Mona Lisa...

Em uma área de 210.000 m² sendo 60.600 m² de galerias, são expostas obras de natureza variadas pinturas, esculturas, desenhos, cerâmicas, artefatos arqueológicos e outros objetos de arte..

Boa visita!

-> Sete dicas para uma visita bem sucedida ao Museu do Louvre.
-> As exposições imperdíveis de Paris, em 2019
-> A ver...
-> Instagram_musée du Louvre (Link externo)