5 minutos para ficar a saber tudo sobre o rum da Guiana

Calor e humidade, é este o cocktail climático que torna o rum da Guiana tão especial. Conhecido pelo seu sabor frutado, o rum é, na Guiana, assim como nas Antilhas, uma instituição com uma história fascinante.
Quando o rum guianense se chamava Tafia

Os primeiros runs da Guiana datam do século XVII. Na altura, eram simples produtos derivados do açúcar por destilação "da espuma". "É o último xarope de que só se poderia fazer um mau açúcar", dizia-se. Era designado "Tafia" e só os escravos é que o consumiam.

Na fronteira com a Amazónia

Só subsiste uma única destilaria em Saint-Laurent-du-Maroni, na fronteira com a floresta amazónica, no lado este do território. Ainda havia cerca de vinte destilarias na Guiana nos anos 30. Hoje em dia, os cem hectares de campos de cana-de-açúcar ficam junto à floresta, a 2 km da destilaria, nas terras agrícolas conhecidas por serem as melhores da Guiana.

Quase peças de coleção

A empresa "Les Rhums Saint-Maurice" produz três marcas: "La Belle Cabresse", "La Cayennaise" e "Le Cœur de Chauffe". As garrafas reconhecem-se pelas suas belas etiquetas coloridas que mudam quase todos os anos, na altura do famoso carnaval, que ocorre entre janeiro e março.

Um rum agrícola e não industrial

Na destilaria Saint-Maurice, só é fabricado rum agrícola, ou seja, um álcool produzido através da fermentação e destilação do sumo da cana-de-açúcar acabado de espremer. Este sumo é denominado "vesou". É durante a etapa da destilação que o rum adquire um gosto e aroma específicos. O teor de álcool por garrafa varia em função das marcas entre 50° e 55°.

O rum vai ter uma casa

Por razões de segurança, a destilaria de Saint-Laurent já não se visita, mas está prevista a construção de uma Casa do Rum. Ela permitirá aos visitantes conhecerem os processos de cultura e de fabrico e será possível fazer degustações.

Garrafas e copos

A destilaria Saint-Maurice, totalmente renovada em 2015, possui uma loja onde se pode comprar rum, assim como copos de ponche com a imagem de "La Belle Cabresse". Mas quem é esta bela mulata? Um jovem rosto guianense...

Uma cozinha com ponche

O rum apresenta-se de várias maneiras: como cocktail, sob a forma de ti-punch, planteur ou misturado com especiarias e/ou frutas, ou como digestivo com um rum velho muito licoroso. Também é utilizado na cozinha guianense, pois junta-se um bocadinho de rum em alguns pratos para dar gosto.

Como chegar à Guiana