Atelier des Lumières

A cidade que abriga alguns dos mais belos e importantes museus do mundo, como Louvre, Orsay e Grand Palais, agora tem mais um bom motivo para se orgulhar: o primeiro centro de arte digital da cidade chamado Atelier des Lumières debutou na cena cultural nacional em abril com uma exposição primorosa e atraiu todos os holofotes durante esse ano.

Tudo começa pela escolha do lugar, uma antiga fundição criada em 1835 - a fonderie du Chemin-Vert - que produzia peças para as estradas de ferro e para a Marinha. Determinado pela crise internacional, o fechamento da indústria ocorre em 1929 e o espaço é vendido à família Martin, especializada na fabricação e venda de máquinas operatrizes. A empresa se mudou em 2000 e o espaço permaneceu fechado por mais de uma década até que, em 2013, a Culturespaces – uma empresa gestora de centros de arte e organizadora de exposições temporárias imersivas e digitais - tomou conhecimento do lugar.

A ideia de utilizar a tecnologia para oferecer ao público uma forma alternativa de abordar a arte é um dos principais objetivos da Culturespaces, o nome que também está por trás do bem-sucedido Carrières de Lumières, um espaço de exposição imersivo aberto em 2012 na região da Provence onde obras-primas dos maiores artistas são projetadas nas paredes, pilares e pisos de uma antiga pedreira de calcário.

Após 5 anos de intensos trabalhos na antiga fonderie du Chemin-Vert, a Culturespaces abriu as portas do Atelier des Lumières. Ao invés do calcário da Provence, estruturas metálicas são o pano de fundo para as projeções em Paris.

Após 5 anos de intensos trabalhos na antiga fonderie du Chemin-Vert, a Culturespaces abriu as portas do Atelier des Lumières. Ao invés do calcário da Provence, estruturas metálicas são o pano de fundo para as projeções em Paris.

A primeira longa exposição acontece em torno da arte vienense do séc. 19. No maior espaço, Le Halle, o principal homenageado é o pintor Gustav Klimt, muito conhecido pela obra “o Beijo”. A imersão é total e o show não é apenas visual, mas também auditivo, pois as obras são projetadas ao som de Beethoven, Strauss e Wagner, envolvendo literalmente os visitantes!

Outra exposição que acontece no mesmo espaço é a “Hundertwasser” com obras projetadas de Egon Schiele e Friedrich Stowasser, enquanto na menor sala, Le Studio, estão os trabalhos de alguns artistas contemporâneos emergentes.

O sucesso da exposição de Gustav Klimt foi tão arrebatador que o prazo de exibição foi estendido até início do ano que vem (6 de janeiro). E a próxima grande exposição já foi anunciada! Trará Van Gogh como homenageado principal entre fevereiro e dezembro de 2019.

Para evitar grandes filas compre o ingresso antecipado pelo site oficial (Link externo). O ticket (14,50 € - tarifa cheia) dá acesso às três exposições citadas acima. O Atelier des Lumières abre diariamente das 10h às 18h (horário estendido às sextas e sábados até as 22h). Endereço: 38 rue Saint Maur, 75011 Paris | Metrô: Estação Rue Saint-Maur (linha 3).