Os mais belos jardins franceses para se viver um momento de paz à distância

« É preciso cultivar nosso jardim », escreveu Voltaire. Que tal seguir seu conselho, literal e metaforicamente? Enquanto esperamos para poder percorrer os jardins mais bonitos da França, vamos nos surpreender com uma visita virtual… fotos e vídeos nos levam para passear e respirar o ar fresco desses espaços incríveis Um verdadeiro momento de paz!

Versalhes: o mais majestoso

Versalhes dispensa apresentações. Sua exuberante construção teve início durante o reinado de Luís XIV e tinha como propósito representar todo o esplendor do país. Hoje classificado como Domínio Nacional pertencente ao Estado francês, o parque onde Maria Antonieta adorava passear tem mais de 800 hectares.

Os jardins foram criados ao longo de 40 anos, com a participação do paisagista André Le Nôtre. Representam o estilo « à la française », caracterizado pela ordem e simetria. Versalhes é uma jóia verde, repleta de flores, de bosques, de estátuas e de chafarizes acionados em certas ocasiões. Um verdadeiro conto de fadas, ideal para sonhar e fugir da rotina. Partiu?

Giverny: o mais pitoresco

Conheça um dos jardins franceses mais emblemáticos, criado por um grande mestre do Impressionismo: Claude Monet. Quando o pintor se mudou para esta casa em 1883, criou primeiro um jardim de flores chamado Le Clos Normand e um jardim d'água de inspiração japonesa. A ponte coberta por glicínias, os salgueiros, e os famosos Nenúfares (Nymphéas em francês) que podem ser vistos nos conjuntos murais da Orangerie, são por si só verdadeiras obras-primas. Deu vontade? Deixe-se tentar pela visita virtual da casa e dos jardins de Giverny, ao vivo de sua sala! Mas não deixe de seguir os passos dos pintores impressionistas através de experiências inesquecíveis na Normandia.

Villandry : o mais elegante

O castelo de Villandry foi o último edificado durante o Renascentismo na região de Val de Loire. Os jardins, criados e restituídos pela família Carvallo, são impressionantes. Distribuídos em quatro níveis, são uma ilustração perfeita da elegância à francesa. Cada um dos seis jardins parece uma pintura com vários tons de verde: horta decorativa, jardim de ornamentação, jardim d'água, jardim simples, labirinto de túneis verdes, jardim do sol. Prepare-se: é deslumbrante!

O Roseiral do Val-de-Marne: o mais cheiroso

Criado por Jules Gravereaux e Edouard André no final do século XIX, o Roseiral do Val de Marne foi o primeiro jardim dedicado à "rainha das flores". Contém uma das mais importantes coleções de rosas antigas do mundo. Reconhecido internacionalmente, o roseiral é certificado como Jardin remarquable [jardim admirável] pelo Ministério da Cultura francês. Conta com cerca de 2900 espécies e variedades de rosas, distribuídas em um jardim à francesa de 1,5 hectare. Um passeio para relaxar e encontrar a paz sentindo o agradável cheiro das flores.

Casarão & jardins Ephrussi de Rothschild: o mais exótico

Bambuzal de Prafrance : o mais verde

Certificado como Jardin remarquable e tombado como Monumento Histórico, o Bambuzal foi criado em 1856 por Eugène Mazel. Este homem apaixonado pela horticultura trouxe muitas espécies exóticas, incluindo bambus, de uma das suas viagens ao Extremo Oriente. Hoje o parque ocupa 12 hectares e impressiona com árvores centenárias, mas também com um jardim d'água, um labirinto de plantas, uma aldeia do Laos e várias estufas... Um jardim sem comparações na França e uma viagem pelo oriente no coração das Cévennes Gardoises.

Chenonceau : o mais parecido com um conto de fadas

Edificado na beira do rio Cher, o castelo de Chenonceau se destaca como uma das jóias do Val-de-Loire e como um símbolo da arquitetura renascentista. Sua história foi moldada por mulheres, razão pela qual é chamado de "Château des Dames". Dá pra notar um equilíbrio sutil entre arquitetura e paisagem, entre água, pedras e plantas. É uma delícia ficar olhando para estes elegantes jardins à francesa: rosas trepadeiras do jardim Diane de Poiriers, canteiros de flores do jardim Catherine de Medicis, labirinto circular, horta de flores, jardim verde e o mais recente, o jardim de homenagem a Russell Page. Confira você mesmo graças ao aplicativo especialmente criado para uma visita virtual!

Bagatelle : o mais bucólico

Fincado no coração do Bois de Boulogne, é um dos quatro pólos do Jardim Botânico de Paris. O Castelo e o Parque de Bagatelle foram construídos em 1775, após uma aposta feita entre Maria Antonieta e seu cunhado, o Conde de Artois. O parque oferece um agradável e romântico passeio entre cascatas, pontes pitorescas e espelhos d'água. É também conhecido por seu roseiral, que conta com 1.200 variedades de rosas e serve de palco a concertos de música erudita durante o verão.

Parque do Domínio do Rayol : o mais mediterrâneo

Localizado entre as cidades de Le Lavandou e de Saint-Tropez, o Parque do Domínio do Rayol foi originalmente criado a pedido do empresário Alfred Courmes, que comprou um terreno de 40 hectares coberto de vegetação característica da região mediterrânea: o maquis selvagem. Constatando o abandono da área, um órgão de conservação do litoral decidiu em 1989 organizar a recuperação do espaço com a ajuda do paisagista Gilles Clément. No intuito de preservar a costa selvagem da Corniche des Maures, ele criou um jardim juntando paisagens do cenário mediterrâneo: bacia do mediterrâneo, sudeste da Califórnia, Chile central, região do Cabo na África do Sul e Austrália do Sul.

Parque do Domínio do Rayol : o mais mediterrâneo

Assim que o banqueiro Albert Kahn comprou esta mansão em 1895 nos Hauts-de-Seine, passou a se dedicar à arte botânica, que se tornou uma verdadeira paixão. Junto com o jardineiro Louis Picart, criaram um jardim "de cenas", um gênero típico do século XIX. Assim, os Jardins Albert Kahn são compostos por um jardim francês, um jardim inglês, um jardim japonês e uma floresta da região montanhosa Les Vosges. Este recanto de paz é um convite à contemplação, símbolo do ideal de paz universal defendido pelo banqueiro filantrópico durante toda sua vida através do estudo e do conhecimento de diferentes culturas. A reabertura do museu está prevista para 2021.

Ir mais
longe