As nossas principais cidades francesas para passear com bom tempo

Ah, o regresso do bom tempo, o prazer de olhar para o céu, deambular com amigos ou família, demorar-se numa esplanada... Em França, mais do que em qualquer outro lugar, sabemos como aproveitar estes bons momentos juntos. Porque nunca tivemos tanta necessidade de cuidarmos de nós, sigam-nos à descoberta de 15 cidades francesas que cultivam esta inimitável alegria de viver... E se ousar significar abrandar, mesmo na cidade?

Estrasburgo, um paraíso para pedalar na Alsácia

Em Estrasburgo, os peões e os ciclistas são reis. Nem um carro no centro histórico nem à volta da catedral. As bucólicas margens do Ill também já podem ser percorridas sem poluição motorizada. E é um deleite caminhar pelo coração da Petite France ao longo das típicas casas de enxaimel tão maravilhosamente decoradas com flores. Com 600 km de ciclovias, a capital da Alsácia é um destino ciclístico irresistível. Um itinerário entre muitos outros? O do Ill-Reno, 30 km para descobrir o presqu'île Malraux, as instituições europeias, o bairro Neustadt, classificado como Património Mundial pela Unesco, com pausa para relaxar nos históricos Banhos Públicos, recém-renovados. Depois há o encantador Parc du Chateau de Pourtalès, a reserva natural de La Robertsau e o Canal que liga o Marne ao Reno. Um circuito perfeito para desfrutar de Estrasburgo de uma forma diferente, ao seu ritmo!

Paris, a escapatória para o canal

Quando os dias de sol chegam, Paris vibra com uma energia contagiosa. Queremos ver tudo, visitar tudo. Passear ao longo das margens do Sena, caminhar pelos Campos Elísios, deambular pela Samaritaine ou nutrir-se com a arte contemporânea na nova Bourse de Commerce. Mas por que não ir além dos clássicos? Sugerimos uma incursão ao nordeste da capital, em direção ao Canal de l'Ourcq, muito na moda, pelo Parc de la Villette. Pelo caminho, na cintilante Philharmonie, a exposição Hip Hop 360 está patente até 24 de julho. Depois, pode seguir com calma ao longo das margens do rio, onde pode admirar algumas das mais belas obras de arte de rua em Paris.

Lille, uma utopia em tamanho real nos Altos de França

Capital Europeia da Cultura desde 2004, Capital Mundial do Design em 2020, Lille tem estado sempre na vanguarda. Em 2022, com Utopia, a metrópole dos Altos de França avança com a 6.ª época cultural de Lille3000 e coloca a natureza no centro dos sonhos. De 14 de maio a 2 de outubro, espera-se uma erupção de desfiles, exposições, concertos, espetáculos, metamorfoses urbanas e uma floresta mágica em locais tão emblemáticos como o Tri Postal, a Gare Saint-Sauveur e o Palais des Beaux-Arts. Para viver a utopia em tamanho real, estão planeados passeios artísticos, a pé ou de bicicleta. De seguida, ainda haverá tempo para “comer, beber e divertir-se” na Grand Scène, a nova Food court de Lille, um templo da cozinha no local das antigas Galerias Lafayette.

Deauville, a Normandia verde atrás das Les Planches

Ah, Deauville e as suas famosas Planches! Passear à beira-mar entre cabines de banho e elegantes villas Belle Époque é intemporalmente chique. Aviso aos amantes, pode-se seguir pela promenade “chabada” até espaços verdes, no bonito Parc des Lais de Mer onde encontramos o romântico jardim dos corações. Ou um pouco mais à frente, nos bucólicos circuitos da Touques. As margens pedonais do rio oferecem um banho revigorante na natureza made in Normandia. Podemos saborear a calma e a serenidade nas Franciscaines, um novo espaço cultural em Deauville. Ao mesmo tempo um museu, uma mediateca, uma sala de espetáculos com um claustro, uma capela e um grande refeitório magnificamente transformados, convida-o a viajar na beleza com uma jubilante criatividade.

Marselha, mergulho submarino na Provença

Perguntamo-nos o que preferirá... Subir pelo passadiço ao ar livre no terraço na cobertura do Mucem, o mais recente museu em Marselha, depois de visitar a exposição “Pharaohs Superstars” (de 22 de junho a 17 de outubro). Ou mergulhar nas entranhas mágicas da gruta Cosquer, mais precisamente a réplica perfeita deste tesouro arqueológico afundado, descoberto nas calhetas de Marselha. A partir de junho, a Villa Méditerrannée, ao lado do Mucem e do Porto Antigo, será o local para embarcar numa viagem às profundezas da história e da arte rupestre. Para viajar 27 000 anos atrás, são necessários apenas alguns minutos a bordo de módulos de exploração de alta tecnologia. Uau! Emoções garantidas antes de uma ascensão suave à superfície. E o belo sol da Provença de fazer piscar os olhos.

Nice, pinturas e estrelas na Côte d’Azur

E se içássemos as velas para abraçar a famosa Baie des Anges? Afastar-se da Promenade des Anglais é uma oportunidade para mudar de perspetiva. Depois, dirigir-se para o bairro de Cimiez com vista para Nice e o Mediterrâneo, a partir de uma colina exuberante plantada com oliveiras. Aqui, não há restaurantes, nem bares, nem lojas, mas sim, numa área verde, as ruínas românticas da antiga cidade romana de Cemenelum. Arenas, termas, um anfiteatro... Há bonitos vestígios para contemplar e um fascinante museu de arqueologia. Aninhados em belos jardins, entre vilas da Belle Époque e palácios de outrora, podemos também visitar o Museu Matisse e o Museu Nacional Marc Chagall. Sem esquecer a grande cúpula do Observatório e do seu novo Universarium para terminar o passeio dos cumes com a cabeça nas estrelas.

Bordéus, escadarias e sonhos na Nouvelle-Aquitaine

Com o seu excecional património urbano, distinguido pela UNESCO, e mais de 350 edifícios classificados ou inscritos como monumentos históricos, Bordéus convida-o a passear. Para não perder nada enquanto passeia pelas encantadoras ruas pedonais do centro histórico ou ao longo das margens do Garonne, basta seguir a rota “Bordeaux port de la lune-Patrimoine mondial” (com um cartão de colecionador e cápsulas áudio imersivas), materializada no chão com pregos de bronze. E se o vinho servir de fio condutor, antes ou depois de uma visita à Cidade do Vinho, nesta Primavera, propomos dois novos percursos pedestres e três ciclovias, com visitas a propriedades. O ponto de partida ideal para estas escapadelas descontraídas? La Zoologie, um novo hotel no auge do exotismo alojado no antigo Instituto de Zoologia de Bordéus. Natureza, obrigatoriamente natureza!

Montpellier, tour arty na Occitânia

A um passo do Mediterrâneo, Montpellier tem energia de sobra. Quer percorra as pitorescas ruas do Ecusson, o seu coração histórico, quer apanhe o design tram de Hirondelles para celebrar o melhor da arquitetura contemporânea em Port Marianne, todos os seus sentidos estarão despertos. Antes de pedalar com vivacidade até à praia (sim, é possível!), é bom apanhar uma lufada de ar fresco nas margens do Lez. Nos dias de sol, pode passar algum tempo no Marché du Lez, onde coabitam alegremente restaurantes, food trucks, antiquários e jogadores de petanca. A arte de rua faz obviamente parte. Ainda mais arty? Acrescentamos o MOCO (Montpellier Contemporain) e os seus 3 espaços à lista. A Panacea é a favorita, com o seu espaço de exposição luminoso e o seu café-restaurante, onde o brunch de domingo é um sucesso.

Dijon, a arte de viver em Borgonha-Franco-Condado

Já adorávamos a capital da Borgonha pelo seu centro histórico pedonal. Seguindo o percurso da coruja, entre casas de enxaimel e pavilhões de mercados gourmet, pode-se fazer o tour em 22 etapas. Boa ideia? Subir os 316 degraus da Torre Philippe Le Bon. No topo, o terraço oferece uma vista de 360° da cidade e da sua nova joia: a cidade internacional da gastronomia e do vinho abre portas a 6 de maio, à entrada do centro histórico, da rota dos Grands Crus e no porto do canal. E o menu é tentador. Exposições, degustações, zona de restaurantes... Uma ótima maneira de conhecer a refeição gastronómica dos franceses e os famosos Climats du vignoble de Borgonha, classificados como património cultural imaterial pela UNESCO.

Brest, a margem certa na Bretanha

Mas que maravilha! Um dos maiores e mais belos do mundo, muito fotogénico durante os encontros de embarcações antigas, sendo o próximo no Verão de 2024. A Oeste, no extremo da Bretanha, Brest abre horizontes e sopra uma brisa de novidade com o seu bairro dos Capucins. Para o descobrir facilmente, embarque no primeiro teleférico urbano em França. Lá em cima, sob os gigantescos correedores, as antigas oficinas da Marinha nacional tornaram-se um lugar de vida, cultura e inovação. Bem-vindo à maior praça coberta da Europa, onde poderá desfrutar da vista e explorar o novíssimo 70.8, um museu do mar e do futuro completamente diferente dos outros!

Orleães, capital do Centro-Vale do Loire

Pelo estilo de vida descontraído, a capital do Vale do Loire está na linha da frente, banhada pelo rio real e a poucos quilómetros dos mais belos castelos de França. A partir do centro da cidade, onde todos os caminhos levam à Catedral Sainte-Croix, monte a bicicleta e percorra tranquilamente os cais. Entre o Cabinet Vert, o restaurante mais antigo de Orleães, até à bonita aldeia marítima de Combleux, natureza selvagem e bancos de areia têm um encanto incrível. Prefere deslizar pela água? Embarque num destes barcos tradicionais - toues, plates ou gabarres - antes de aperfeiçoar os seus conhecimentos sobre a flora e a fauna no MOBE (Muséum d’Orléans pour la Biodiversité et l’Environnement). Em seguida, faça um piquenique num cenário verde, no grande Parc de la Source.

Lyon, confluência e casas de pasto na Ródano-Alpes

Vista do Saône, a antiga capital dos Gauleses revela as suas mais belas joias. Durante todo o ano, barcos-cruzeiros asseguram o espetáculo fazendo viagens entre a Velha Lyon Renascentista e a misteriosa Île Barbe. Em dias de sol, a partir da paragem fluvial Confluence, a um passo do apaixonante Musée des Confluences, recomendamos uma viagem de barco elétrico para admirar o panorama sumptuoso, ao seu ritmo. Nas margens pedonais do Saône, cerca de vinte obras de artistas pontuam o cruzeiro e são tantas quantas as paragens antes de avançar, porque não, até Fontaines-sur-Saône e Rochetaillée-sur-Saône. Praias de areia e casas de pasto animadas esperam por si para bons momentos partilhados, com os pés na água.

Ajaccio, todo o sabor da Córsega

Não há época mais bonita do que a Primavera para descobrir a Córsega, os seus matagais em flor, os seus riachos de águas cristalinas, as suas florestas e ribeiras de montanha. Ajaccio e o seu golfo encantador, onde as ilhas Sanguinaires se mantêm de guarda, oferecem imediatamente esta concentração de beleza. Um pequeno “Olá” a Napoleão, um filho da terra, na Maison Bonaparte e uma visita ao Palais Fesch onde se encontra o Museu de Belas-Artes e a sua excecional coleção de quadros italianos são obrigatórios. Mas aconselhamos seguir pelo matagal depois de uma visita gourmet ao Marcatu, o recentemente remodelado pavilhão de mercados de Ajaccio. Podemos encher-nos de especialidades locais, figueirais e lonzu, canistrelli e brocciu antes de seguir pela rota dos cumes para uma caminhada - com vista - com odores enebriantes de mirto, cisto e do immortelle.

Biarritz, o revigorante País Basco

Mesmo que o surf não seja a sua praia, Biarritz promete-lhe alguns momentos revigorantes maravilhosos e reconfortantes pausas gourmet. Dê corda aos sapatos e suba os 248 degraus do farol. No topo, encontrará uma impressionante vista aérea do Hôtel du Palais e das suas imediações. O único palácio da costa atlântica, a antiga residência de Verão da imperatriz Eugénie, acaba de reabrir após um lifting completo e recomendamos a reserva de uma mesa no La Rotonde, o seu icónico restaurante. Regresso ao Porto Antigo pela Grande Plage. Um olhar sobre as ondas, uma visita ao aquário Art Deco e, depois, cara a cara com a Rocher de la Vierge desde o Rooftop do Olatua Biarritz. Ao pôr-do-sol, as tapas revisitadas ao estilo do País Basco são bem merecidas.

Nantes, uma viagem como nenhuma outra no País do Loire

Anote bem as datas. Em 2022, a 11.ª edição da Voyage à Nantes terá lugar de 2 de julho a 11 de setembro. Mais uma vez, a cidade tornar-se-á um grande palco ao ar livre com uma profusão de propostas culturais, exposições, instalações, performances e locais a explorar ou redescobrir transformados. Cabe-lhe a si planear as suas próprias paragens nesta rota lúdica, descontraída e poética através da cidade, que abrange cerca de vinte quilómetros. Como fio condutor, uma linha verde traçada no chão guiará os seus passos. Prometemos-lhe grandes encontros, incluindo um grande elefante que vive na Île de Nantes, a um passo de um Hangar à bananes onde pode desfrutar de cafés e esplanadas nas margens do Loire. Sentirá certamente o apelo do mar. O estuário e as praias do Atlântico não estão longe, de barco ou de bicicleta!

Ir mais
longe