Paris, uma nova estação gulosa

Não é altura para começar a fazer dieta, Paris tem novas «cantinas» para testar com urgência!

Grazie mille

Para manter um sabor soalheiro nos pratos, nada como a cozinha italiana! Este ano, o Musée des Arts décoratifs recebeu um novo restaurante que já se tornou o it-restaurant de Paris! Com efeito, Loulou acumula os argumentos porque, apesar de termos procurado muito, não encontramos falhas… Do lado da decoração, reúne em si três ambientes: um rés do chão íntimo de tons quentes e delicados; um primeira andar de grandes vãos envidraçados abertos elegantemente para o Jardin des Tuileries que oferece uma perspetiva mítica e uma luminosidade doce; uma esplanada excecional e bucólica no meio do jardim. Em relação aos pratos, as antipasti apresentam produtos selecionados subtilmente; para o prato, não resistimos aos clássicos Vongole ou aos Tomates recheados, verdadeira Madalena de Proust das nossas avós. Último toque a salientar: o de Jean-Charles Castelbajac que assina a identidade visual com muita poesia.

Na mesma margem, Daroco instalou-se na mítica Galeria Vivienne, no mesmo local da primeira loja de Jean-Paul Gaultier, em Paris - num piscar de olhos ao costureiro, os funcionários usam a famosa Marinière! Pedras, cimento, madeira e vidro são aquecidos pelas tonalidades latentes e profundas do mobiliário. Este novo Trattoria elegante propõe uma cozinha generosa com produtos de exceção.

Mais a oeste, no bairro ardente de Batignolles, a equipa dos Big Mamma abre o seu terceiro restaurante italiano em Paris, o Mamma Primi. Aqui, tal como o seu nome indica, concentram-se essencialmente sobre os «Primi Piatti», ou seja, as pastas frescas, gnocchi, Risotto ou Ravioli (como os agnolotti negros com 78 % de cacau!). Dos ornamentos vegetais emana uma atmosfera alegre e calorosa acentuada por toques de cores (vermelho, verde, azul, laranja) do mobiliário e uma loiça matizada... uma refeição definitivamente soalheira!

A alguns passos do cemitério do Père Lachaise, Pierre Jancou procura, antes de mais, a autenticidade, com o seu novo bistrot Achille: tijolos nas paredes, molduras no teto e alguns espelhos, tanto na decoração como no prato não há cerimónias, parece apenas adequado e guloso! O conceito é simples e eficaz: bons produtos, um menu que muda consoante o mercado e uma vasta carta de vinhos. Jante no bar para observar o Chef a criar!

Fusões criativas

Ao passar à porta do Yam’tcha, na rue Saint-Honoré, temos um desejo irresistível de entrar: sem dúvida que se sente a Ásia a entrar pelas narinas! Mas, contudo, a Chef de cozinha é de Borgonha! Adeline Grattard casou com Chi Wah Chan, o escanção do chá, com quem viveu 2 anos em Hong Kong, o seu país de origem. Apesar de, no início, Adeline Grattard já dominar as técnicas francesas - fez a sua formação no Astrance (3 estrelas Michelin) -, aprende lá a cozinha com Wok ou ao vapor. No menu, não é surpreendente encontrar aves de Bresse cozinhadas em ganchos à moda de Pequim!

No Koko, no canal de Ourq, a fonte de inspiração é o país do sol nascente. Criado como um bistrot japonês, encontramos as clássicas tapas japonesas - Rolls, sashimi, sushi e Chirashi - mas também experiências de consonância europeia, como Caprese com Tofu! A decoração também é de «fusão»: uma mistura entre uma cervejaria colorida e um bar de sushi. Não vá embora sem beber um Umeshu, famoso e irresistível licor de ameixa nipónico.

Pratos de exceção

O Chef Christophe Saintagne tem um CV brilhante: ao lado de Alain Ducasse, trabalha, nomeadamente, no Plaza Athénée ou no Meurice. Contudo, em 2016 toma a decisão de voar com as suas próprias asas e abre o Papillon no bairro Plaine-de-Monceaux. Em analogia com a sua cozinha, o Chef opta por um design chique e requintado: uma cozinha aberta e uma sala elegante com soalho Point de Hongrie e bancos camel… Para citar o seu mentor «Fazer bem de forma simples», porque também aqui o produto está, mais do que nunca, no centro do prato.

Por seu lado, Alain Ducasse, justamente, continua a fazer com que falem dele: o rei da gastronomia festejou os seus 60 anos em Versailles para a abertura de Ore! Elegante café contemporâneo de dia, Ore transforma-se em restaurante de exceção à noite, apenas mediante privatização. Ore, boca em latim, faz referência ao serviço da Bocca do Rei, que preparava todas as refeições da corte. As referências não ficam por aí, tanto nos pratos como no espaço existe uma sábia mistura: um piscar de olho ao passado, criatividade e pertinência. Ao almoço degusta-se as clássicas omeletes, cotovelinhos com fiambre e trufas pretas ou bolos requintados. À noite descobre-se um menu inspirado pela corte num ambiente do século XVII, acompanhado por vinhos de alta-costura. Feche os olhos, o seu sonho de princesa vai realizar-se!

Moradas

LOULOU
Museu de Artes decorativas 107, rue de Rivoli

75001 Paris
Telefone: +33 1 42 60 41 96

Daroco

6, rue Vivienne,
75002 Paris
Telefone: +33 1 42 21 93 71

MAMMA PRIMI
71, rue des Dames,
75017 Paris
Telefone: +33 1 47 42 33 31

Achille
43, rue Servan,

75011 Paris
Telefone: + 33 1 48 06 54 59

Yam’tcha 121, rue Saint Honoré,

75001 Paris
Telefone: +33 1 40 26 08 07

Koko
14, quai de la Loire,
75019 Paris

Telefone: +33 1 40 34 15 95

Papillon
8, rue Meissonier
75017 Paris
Telefone: +33 1 56 79 81 88

Ore Ducasse no castelo de Versailles

Pavilhão Dufour, Primeiro andar, Entrada pela cour des Princes - Place d’armes,
78000 Versailles
Telefone: +33 1 30 84 12 96

Ir mais
longe